sexta-feira, fevereiro 28, 2014

                

                            Pinicão no centro da cidade



O que pouca gente sabe é que por trás da avenida Brasil, área central da cidade, privilegiada, que conta com agências da Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil e o antigo casarão existe um grande pinicão. É isso mesmo. Há anos os moradores daquela área resistem as águas fétidas do que deveria ser um córrego e se transformou num grande depósito de esgoto a céu aberto.

As autoridades sabem disso e dão ouvidos de mercador. Famílias antigas que   moram naquela área da cidade já apelaram para os órgãos ou instituições que deveriam resolver o problema sem que nada efetivamente seja feito. O Depasa ainda andou por lá com suas máquinas tentando fazer uma drenagem, mas, ao que tudo indica sem nenhum sucesso.

O problema é grave e precisa ser solucionado. Hoje por ocasião da forte chuva que  assolou nossa capital  as águas  e esgoto não tinham como sair o que ocasionou uma verdadeira  enxurrada de esgoto, detritos, matéria orgânica, em pleno centro da cidade.

Estamos mal. Muito mal em se tratando de saneamento. Uma cidade saneada significa que investirá menos em saúde. Uma fato está interligado com o outro. 

Uma escolinha que funciona no local ficou completamente alagada por conta do refluxo do esgoto. Os prejuízos são muitos e a pergunta que se faz é quem vai pagar a conta.

Utilizo esse espaço para fazer ecoar a voz daqueles que já procuraram a tudo e a todos sem que nenhuma providência tenha colocado fim ao problema.

As fotos abaixo são as imagens do centro da cidade por trás da avenida Brasil. Temos um pinicão a céu aberto. E pelo visto as autoridades responsáveis estão pouco preocupadas.


O que sinceramente é lamentável!



                                   RECLAMAÇÃO

A comunidade quando se irrita faz a denúncia buscando uma saída para o problema que enfrenta. Nas fotos abaixo o desleixo  e o descaso vividos em algumas áreas mais distantes  do centro da cidade.

Na postagem retirei o nome da pessoa que me enviou a reclamação e deixei o texto original.



BOM DIA EDVALDO..VENHO AQUI PEDIR QUE O SENHOR FALE SOBRE A NOSSA RUA QUE FICA NO BELO JARDIM II NA RUA DA UNIÃO ..MAIS EXATAMENTE NA RUA DA ESCOLA PAULO FREIRE...AQUI TA ASSIM AS PESSOAS SECANDO A RUA COM BALDES..ESSA FOTO QUE MOSTRA ESSE BUEIRO ABERTO É EM FRENTE A ESCOLA...UM RISCO PRA QUEM ANDA A PÉ, DE CARRO OU DE BICICLETA COMO EU...E EM HORÁRIO DE ENTRADA E SAÍDA DA ESCOLA...OS RISCOS AUMENTAM DEVIDO A IRRESPONSABILIDADE , TANTO DE MOTORISTAS COMO DOS PEDESTRES TAMBÉM.....SERIA MUITO BOM SE TIVESSE ALGUÉM DO DETRAN OU ATÉ DA POLICIA MESMO..PORQUE OS ALUNOS NÃO RESPEITAM QUEM VAI PASSAR DE CARRO,MOTO OU BICICLETA...E OS MOTORISTAS NÃO RESPEITAM OS ALUNOS...E RUA É ESTREITA DEMAIS PARA UM FLUXO TÃO INTENSO NESSES HORÁRIOS...DESDE JÁ TE AGRADEÇO ....OBRIGADO !!!!!


Deu no jornal A Tribuna

Deputado Edvaldo Souza defende ronda policial na periferia

PDF
28/02/2014 - 00:29:22
O deputado Edvaldo Souza (PSDC) pediu aos gestores de Segurança Pública que seja instituída a ronda policial preventiva nos bairros. De acordo com ele, essa seria uma alternativa para que se reduzam os índices de violências. O parlamentar destacou que as pessoas estão com medo e existe um sentimento de insegurança que precisa ser tranquilizado. 

Ele alertou que durante o mês de abril de 2013, pelo menos 17 homicídios foram registrados. O número é considerado alto se levado em consideração o contingente populacional de Rio Branco, ou seja, uma média de 300 mil habitantes.

Ainda em seu pronunciamento, o deputado cristão defendeu que haja uma atenção maior aos bairros periféricos. Para ele, a segurança do trabalhador deve ser garantida pelo Estado tendo em vista que essa é uma prerrogativa constitucional. Edvaldo Souza disse que os cidadãos de maior poder aquisitivo utilizam todos os artifícios disponível para resguardarem seu patrimônio, como a utilização de cercas elétricas, condomínios fechados e segurança particular, enquanto os menos favorecidos ficam a mercê da própria sorte.
“Quem tem dinheiro coloca cerca elétrica, mas e os pobres? Quem os defendem? Rio Branco é uma cidade violenta e esse problema começou a ser resolvido com as rondas nos bairros. Se colocar a ronda policial vai haver redução nos números”.

O deputado disse que não tem intenção de fazer crítica pela crítica, mas suas palavras tem o sentido de tentar salvar vidas e resguardar o patrimônio das pessoas. Ele ponderou, ainda, que não as autoridades de Segurança Pública devem garantir uma sensação de segurança permanente e não apenas em datas festivas.

“Temos que acabar com essa mania de termos segurança apenas no Carnaval e nas festas de fim de ano”.

Edvaldo Souza voltou a dizer que o Acre precisa de uma atenção maior do Governo Federal no sentido de garantir o fortalecimento da segurança nas fronteiras. Ele assegurou que a Polícia Federal precisa ser levada a sério. Ele acrescentou que mesmo sendo a maior polícia do Brasil, ainda não recebe os investimentos que deveria se comparada a outras polícias como o FBI, ou seja, a polícia americana.

“Há 50 anos não se investe em policiamento nas fronteiras. Só agora o Governo acenou para colocar a Polícia Federal nos mesmos moldes das demais polícias internacionais. O Acre continua sendo um corredor do tráfico de drogas. O Acre não produz cocaína, mas sintetiza”.

Deu no Jornal A Gazeta

Edvaldo Souza defende ronda policial nos bairros periféricos

E-mailImprimirPDF
 O deputado Edvaldo Souza (PSDC) pediu aos gestores de Segurança Pública que seja instituída a ronda policial preventiva nos bairros. De acordo com ele, essa seria uma alternativa para que se reduzam os índices de violências. O parlamentar destacou que as pessoas estão com medo e há um sentimento de insegurança que precisa ser tranquilizado.
Ele alertou que durante o mês de abril de 2013, pelo menos 17 homicídios foram registrados. O número é considerado alto, se levado em consideração o contingente populacional de Rio Branco, ou seja, uma média de 340 mil habitantes.
 Ainda em seu pronunciamento, o deputado cristão defendeu que haja uma atenção maior aos bairros periféricos. Para ele, a segurança do trabalhador deve ser garantida pelo Estado, tendo em vista que essa é uma prerrogativa constitucional. Edvaldo Souza disse que os cidadãos de maior poder aquisitivo usam todos os artifícios disponíveis para resguardarem o seu patrimônio, como a utilização de cercas elétricas, condomínios fechados e segurança particular, enquanto os menos favorecidos ficam a mercê da própria sorte.
“Quem tem dinheiro coloca cerca elétrica, mas e os pobres? Quem os defendem? Rio Branco é uma cidade violenta e esse problema começou a ser resolvido com as rondas nos bairros. Se colocar a ronda policial vai haver redução nos números”.
 O deputado disse que não tem intenção de fazer crítica pela crítica, mas suas palavras têm o sentido de tentar salvar vidas e resguardar o patrimônio das pessoas. Ele ponderou, ainda, que as autoridades de Segurança Pública devem garantir uma sensação de segurança permanente, e não apenas em datas festivas.
“Temos que acabar com essa mania de termos segurança apenas no Carnaval e nas festas de fim de ano”.
 Edvaldo Souza voltou a dizer que o Acre precisa de uma atenção maior do Governo Federal no sentido de garantir o fortalecimento da segurança nas fronteiras. Ele assegurou que a Polícia Federal precisa ser levada a sério. E acrescentou que, mesmo sendo a maior polícia do Brasil, ainda não recebe os investimentos que deveria se comparada a outras polícias como o FBI (norte-americana).
“Há 50 anos não se investe em policiamento nas fronteiras. Só agora o governo acenou para colocar a Polícia Federal nos mesmos moldes das demais polícias internacionais. O Acre continua sendo um corredor do tráfico de drogas. O Acre não produz cocaína, mas sintetiza”.


quinta-feira, fevereiro 27, 2014

Deu no AC24horas



Edvaldo Souza defende ronda policial ostensiva para conter violência

Ray Melo, da editoria de política de ac24horas - raymelo.ac@gmail.com
  
A onda de violência que sacode Rio Branco está preocupando tornando reféns, os moradores da periferia da capital. Este foi o alerta do deputado Edvaldo Souza (PSDC), que propõe às autoridades de segurança do governo do Acre, que seja instituída a ronda policial preventiva nos bairros. Para Souza, esta seria uma alternativa para reduzir os índices alarmantes da criminalidade na capital.
Segundo o deputado, as pessoas estão aterrorizadas com o avanço da criminalidade. “Existe um sentimento de insegurança que precisa ser tranquilizado. No mês de abril de 2013, pelo menos 17 homicídios foram registrados. O número é considerado alto se levado em consideração o contingente populacional de Rio Branco, ou seja, uma média de 300 mil habitantes”, alerta Edvaldo Souza.
Ele defende que seja dispensada uma atenção maior á segurança dos bairros periféricos. “A segurança do trabalhador deve ser garantida pelo Estado tendo em vista que essa é uma prerrogativa constitucional. Os cidadãos de maior poder aquisitivo utilizam todos os artifícios disponível para resguardarem seu patrimônio, como a utilização de cercas elétricas, condomínios fechados e segurança particular, enquanto os menos favorecidos ficam a mercê da própria sorte”, enfatiza.


Edvaldo Souza disse que sua intenção não é criticar os procedimentos de segurança do governo, mas contribuir para salvar vidas e resguardar o patrimônio de quem não pode pagar segurança particular. “Temos que acabar com essa mania de termos segurança apenas no Carnaval e nas festas de fim de ano”.

terça-feira, fevereiro 25, 2014

                       Descaso



Quando a rua arrebentar por completo vão fazer alguns discursos e depois fazer o que já deveria ter sido feito.

Abaixo a reclamação e fotos enviadas por uma moradora.


Meu caro Edvaldo Souza venho falar em nome do meu bairro e de meu povo que essa cratera que mais parece um buraco negro está impossibilitando a passagem por favor faça alguma coisa pela nossa baixada ....fica no bairro joao eduardo 1 rua a.






                    
                            O   veto do projeto da lei do troco




Nesta terça-feira na Assembleia Legislativa tomei conhecimento por meio da Assessoria Jurídica que o Projeto da lei do Troco, de minha autoria, foi vetado pelo Executivo.

Até aí nada demais se não fosse as incongruências de cunho jurídico que foram  fonte de argumento para o tal veto.

Estão redondamente enganados aqueles que pensam que esse modesto parlamentar é um rábula em se tratando de  questões de Direito.

O  projeto foi estudado a fundo e meses foram levados até a sua elaboração final. Argumentos jurídicos pífios e sem a devida sustentação não me convencem.

O projeto volta a ser analisado e vai a votação mais uma vez. Uma coisa tenham certeza vou votar a favor do projeto da mesma forma que fiz quando o apresentei e vou defendê-lo na tribuna da Aleac.


Eu sou daqueles que honra as calças que veste. Entendo que o Projeto é importantíssimo para a população acriana e esse é o meu posicionamento.

quinta-feira, fevereiro 20, 2014

Deu na coluna Poronga

Defesa intransigente

Deputado estadual Edvaldo Souza (PSDC) defende com unhas e dentes a regularização fundiária do bairro Canaã, antigo Ramal da Judia.

Regozijo

Ontem os deputados estiveram em audiência pública no local, para regozijo do apresentador do Gazeta Alerta.

Mudando de assunto

Edvaldo Souza também disse à coluna que espera o desenrolar das negociações com o PCdoB para que juntos façam uma chapa forte de candidatos a deputado estadual nas eleições deste ano.

Conversas adiantadas

Segundo ele, as conversas estão bem adiantadas e é bem provável que a chapa PSDC-PCdoB seja anunciada em breve.

Deu no jornal A Gazeta

Edvaldo Souza defende regularização fundiária do Ramal Canaã

E-mailImprimirPDF
edvaldocanaa 
O deputado Edvaldo Souza (PSDC) defendeu a regularização fundiária dos moradores do Ramal Canaã. O parlamentar que participou da audiência pública presidida pela Comissão de Legislação Agrária da Aleac, disse que os moradores não podem viver em uma insegurança jurídica.

 Edvaldo Souza pediu o empenho do Governo do Estado, por meio do Instituto de Terras do Acre (Iteracre) para que se resolva o impasse. Segundo o deputado, o problema não é mais jurídico quanto a posse da terra, pois o Judiciário já expediu sentença favorável. Desse modo, o que os moradores reivindicam é a regularização para que infraestrutura possa ser dada à área.
“O Canaã não tem infraestrutura alguma, a não ser um povo com vontade de trabalhar e de viver. Tem máquinas trabalhando, mas a cada chuva que dá a situação dos moradores só piora. O que os moradores não querem é viverem sobressaltados.”, completa o deputado.
 O parlamentar destacou sua luta em defesa dos mais humildes e disse que tem pautado seu mandato na regularização fundiária. Acrescentou que exemplo dessa luta tem sido o bairro Caladinho que, por meio de seu empenho, o Governo do Estado garantiu titulação para as mais de 500 famílias que residem  no loteamento. Souza lembrou a luta de Moisés Diniz frente à Comissão de Legislação Agrária da Casa e pontuou que essa luta não é de parlamentar apenas, mas de todos.
“Eu fui o primeiro deputado a focar a regularização fundiária começando pelo Caladinho. Venho a público manifestar apoio a Comissão de Legislação Agrária presidida pelo deputado Moisés Diniz. Essa luta não tem partido. Deputados, defensores, engenheiros têm que apoiarem aqueles moradores para que a área possa ser topografada o quanto antes”, reivindicou o deputado.

quarta-feira, fevereiro 19, 2014

Deputado quer regularização fundiária do bairro Canaã

Ray Melo, da editoria de política de ac24horas – raymelo.ac@gmail.com
  
Temendo a possibilidade de serem retiradas de suas casas, centenas de famílias que residem na área de invasão, que ficou conhecida como bairro Canaã, no Segundo Distrito de Rio Branco, procuraram auxílio no Poder Legislativo. O deputado Edvaldo Souza (PSDC) defende a regularização fundiária dos lotes.
“Estes pais de família querem apenas o direito de dar um lar para suas famílias. Estes invasores moram  na região do ramal da Judia há anos. Eles precisam apenas de um pouco de atenção do poder público, já temem a possibilidade de serem  retiradas de suas casas”, destaca Edvaldo Souza.
O parlamentar defendeu a legalização do bairro durante audiência pública realizada na tarde de ontem. “São famílias pobres, gente humilde, que precisa do apoio do poder público. É imprescindível o apoio do governo do Acre para que o problema seja solucionado com celeridade”, enfatiza Edvaldo Souza.


Ele ressaltou ainda que o bairro Canaã necessita urgentemente de uma melhor infraestrutura e de policiamento devido a onda de furtos e assaltos na região. “Os moradores reivindicam apenas dignidade e segurança para continuar trabalhando sem a companhia indesejável de bandidos”, finaliza Souza.
                               
                                     




                                                 Nossa ida ao bairro Canaã




A convite do deputado estadual Moisés Diniz estivemos nesta terça-feira  participando de uma audiência pública  realizada pela Comissão de legislação Agrária  da Assembleia Legislativa.

Fui como convidado, pois não faço parte da referida comissão. Porém, como defensor da Regularização fundiária,  me fiz presente.

Foi um grande encontro com os moradores do antigo  Ramal da judia que clamam por melhorias  e vivem sobressaltados com a possibilidade de terem que sair de suas casas, já que o bairro teve como origem uma ocupação irregular.

É no contato com o cidadão comum, com o pedreiro, com a empregada doméstica, com o diarista,  que conhecemos de perto os prolemas e agruras de cada um.

São várias as reclamações. Falta esgoto, água, ruas trafegáveis de inverno a verão,enfim, falta o que se chama de infraestrutura de um bairro.

Centenas de famílias residem no bairro Canaã  em busca  da legalização de seus lotes, de uma vida digna e acima de tudo de dias melhores.

Furtos e assaltos fazem parte da rotina dessa comunidade que reclama da falta de policiamento  intensivo na área.

Foi uma grande tarde. Ouvir e anotei atentamente tudo que me foi falado, todas as reclamações que foram feitas.


Uma coisa é certa. A maioria dos políticos precisa conhecer a realidade de quem  vive na periferia.

terça-feira, fevereiro 18, 2014


                    Periferia no inverno ou inferno?




Socorro Edvaldo!!!!!!!!! tem um esgoto aqui na casa da minha mãe que toda vez que chove parece um rio e já abriu um buraco que esta chegando perto da casa da minha mãe em tempo de desaba-la. peço que mande uma reportagem num dia de chuva para mostra a situação da casa da minha mãe que mora na rua do divisor casa 257 no bairro vitoria apos a igreja casa da benção.




segunda-feira, fevereiro 17, 2014

Laudo nega aposentadoria por invalidez a Genoino

Junta médica afirma que limitações à saúde de ex-deputado não são suficientemente graves para justificar aposentadoria especial. Mas, a pedido do petista, vai analisar novo exame sobre seu quadro de pressão arterial
Valter Campanato/ABr
Genoino pediu hoje ao STF prisão domiciliar definitiva
O ex-deputado José Genoino (PT-SP), um dos condenados no processo do mensalão,recebeu novo laudo negativo a seu pedido de aposentadoria por invalidez. Na sexta-feira (14), médicos da Câmara entregaram à direção da Casa um parecer em que negam o pedido do ex-parlamentar. Pela segunda vez, a junta médica afirma que Genoino, que tem pressão alta, possui limitações à sua saúde, mas elas não são suficientemente graves para justificar uma aposentadoria especial.
Mas, após a conclusão da perícia, representantes do ex-deputado pediram à Câmara que aguardasse um novo exame da pressão arterial de Genoino. Com isso, o laudo vai voltar à junta médica para uma nova análise. Dependendo do resultado do novo exame, a junta poderá ou não mudar as conclusões fechadas na semana passada.
Também hoje Genoino pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) prisão domiciliar definitiva. Ele alegou que, além dos problemas no coração possui uma “síndrome depressiva”, segundo a Globonews. O pedido será analisado pelo presidente do tribunal e relator do mensalão, Joaquim Barbosa. Genoino cumpre, provisoriamente, a pena de prisão em casa em Brasília.
No pedido, o advogado Luiz Fernando Pacheco argumenta que Genoino tem cardiopatia grave e não tem condições de cumprir a pena em um presídio por ser “paciente idoso vítima de dissecção da aorta”. Segundo ele, o sistema penitenciário não tem condições de oferecer tratamento médico adequado ao ex-parlamentar. “Qualquer outra solução significa expor desnecessariamente o paciente a elevado risco de morte, tendo em conta a possibilidade da ocorrência de trombos, picos hipertensivos ou eventos hemorrágicos ou cardiológicos”, afirmou o advogado.
Segunda rejeição
Esta é a segunda vez que a junta médica da Câmara se posiciona contra a concessão de aposentadoria especial a Genoino. Em novembro, o diagnóstico foi o mesmo. Em parecer preliminar de 27 de novembro, o grupo, formado por quatro cardiologistas do corpo de funcionários da Casa, disse que o então deputado não era paciente de “cardiopatia grave”, argumento usado pela sua defesa no requerimento apresentado em setembro.
“O paciente José Genoino não é portador de cadiopatia grave. Ele deverá ser mantido em licença por mais 90 dias até nova avaliação”, afirmou o diretor da Coordenação Médica (Comed) da Câmara, Jezreel Avelino da Silva.
No dia anterior, uma junta médica do Hospital Universitário de Brasília (UnB) havia chegado às mesmas conclusões. Segundo cinco profissionais do HUB, Genoino era portador de cardiopatia “que não se caracteriza como grave”.
O petista está preso domiciliarmente desde 25 de novembro de 2013. Antes, passou uma semana no Centro de Internamento e Reeducação (CIR) e dois dias na Penitenciária do Distrito Federal 1 (PDF 1). O ex-deputado foi condenado pelo STF a seis anos e 11 meses de prisão por corrupção ativa e formação de quadrilha. No entanto, por ter apresentado um embargo infringente, cumpre inicialmente quatro anos e oito meses.
Para não correr o risco de ter seu mandato cassado, como aconteceu com Natan Donadon, outro ex-deputado preso na Papuda após ser condenado pelo STF, Genoino renunciou ao mandato. A mesma medida foi tomada por outros ex-deputados condenados no mensalão: Valdemar Costa Neto (PR-SP), João Paulo Cunha (PT-SP) e Pedro Henry (PP-MT). Genoino está aposentado na Câmara por tempo de contribuição. Recebe R$ 20 mil por mês. Mas, com a aposentadoria por invalidez, passará a ter direito a receber integralmente os R$ 26,7 mil pagos atualmente aos parlamentares que estão no exercício do mandato.
A reportagem procurou o advogado de Genoino, Luiz Fernando Pacheco, mas não o localizou.

segunda-feira, fevereiro 10, 2014

            O dinheiro deve ser gasto com obras de qualidade




Deu no site Contilnetnoticias.com.br

"Medidas urgentes e reparadoras devem ser tomadas", diz deputado sobre violência no Acre


edvaldo-souza
Deputado Edvaldo Souza

O deputado Edvaldo Souza afirmou nesta sexta-feira (7) que o estado do Acre vem enfrentando um período de violência sem freio nem perspectivas de melhorias na segurança.
De acordo com o parlamentar, as pessoas se sentem inseguras diante de tantos casos de violência.
"Esse tempo já não existe mais. Estamos na época da mais pura violência, sem freio e sem perspectivas de melhorias a médio prazo. Todo mundo se sente inseguro, com medo, tenso, e ninguém está livre de, a qualquer momento, ser vítima de uma atrocidade. Todos com quem converso se sentem assim. São assaltos, furtos, homicídios, latrocínios, estupros, raptos, enfim, crimes típicos das grandes cidades, o que não é nosso caso", disse.
Edvaldo é um dos deputados que defende melhorias na segurança. O parlamentar diz, ainda, que algo está errado e que medidas urgentes devem ser tomadas.
"Estamos presos dentro de nossas próprias casas. Trancados, portas e janelas gradeadas, câmeras de segurança, vigias, cães à espreita durante o dia e a noite, e completamente atordoados com a escalada da violência. O que a sociedade exige são medidas imediatas. Ações que nocauteiem a ação criminosa para que possamos ter de volta a velha Rio Branco. Algo está errado. Medidas urgentes e reparadoras devem ser tomadas. Não podemos sair de casa como vítimas em potencial e voltarmos como sobreviventes", concluiu.

domingo, fevereiro 09, 2014

Postado em 09/02/2014 11:39:05

Deputado denuncia irregularidades cometidas pelo DNIT em obras na BR-317

Da redação de ac24horas
  
crime_02
Os serviços de recuperação de trechos da Br- 317, sentido Rio Branco-Brasileia foram alvo de críticas do deputado estadual  Edvaldo Souza(PSDC) que realizou uma vistoria  para verificar  a qualidade dos trabalhos que estão sendo realizados.
“Como sempre quando se trata do Acre  as obras não são feitas com a qualidade técnica que deveriam ser feitas. O que vi me deixou preocupado pois mais uma vez os recursos públicos estão sendo aplicados de forma equivocada” ressaltou o parlamentar.
De acordo com Edvaldo Souza os trechos de  desbarrancamento causados  principalmente devido a igarapés e açudes estão sendo feitos com uma péssima qualidade.
crime_03

crime_05
“Não adianta fazer um quebra-galho” afirmou o deputado que aproveitou para denunciar quem em certos trechos igarapés e açudes estão sendo aterrados por conta das obras o que por si só já caracteriza um crime ambiental.
Na verdade, apenas colocar manilhas para o escoamento das águas não resolve o problema. A situação só será efetivamente resolvida com a construção de pontes que garantam a passagem das águas, dessa forma evitando todo o processo de erosão que faz com que a estrada fique apartada em determinadas épocas do ano, ressaltou o parlamentar.
Vou levar a denúncia ao conhecimento do Ministério Público  para que a Promotoria do Meio Ambiente avalie a questão.
Quanto a qualidade das obras o parlamentar afirmou que vai tratar do assunto diretamente com o governador Tião Viana.


crime_06