quarta-feira, novembro 12, 2014

Casou-se na cadeia


Patrícia Santos Morato Cordeiro, 34, condenada por homicídio, se casou na cadeia
Patrícia Santos Morato Cordeiro, 34, condenada por homicídio, se casou na cadeia

Uma detenta se casou com o companheiro, com quem mantinha um relacionamento de sete anos antes de ser presa, dentro de uma unidade prisional de Vespasiano, município da região metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo a Suapi (Subsecretaria de Administração Prisional), a cerimônia ocorreu na brinquedoteca dentro do CRGPL (Centro de Referência à Gestante Privada de Liberdade), nesta terça-feira (11).

Colegas de Patrícia Santos Morato Cordeiro, 34, também puderam acompanhar o evento.

De acordo com o órgão, a celebração só é permitida em casos de união estável comprovada e o casal precisa obter a certidão de casamento no civil. Segundo a Suapi, o evento foi feito por meio de uma parceria entre o órgão e uma entidade evangélica.

Os enfeites, o bolo e os doces do casamento, além da maquiagem da noiva, foram doados ao casal. A subsecretaria informou que essa é a segunda vez que um evento do tipo ocorre no local. O primeiro foi feito em 2011.

Condenação
A filha da detenta, hoje com 11 anos, também participou do casamento da mãe. Quando Patrícia foi condenada, pelo crime de homicídio, ela estava grávida de quatro meses. A menina nasceu dentro da unidade prisional.

O noivo afirmou que tudo já está preparado para ele e a mulher retomarem a vida, após a detenta ganhar a liberdade, prevista para janeiro do ano que vem.

"Estou realizando meu sonho onde eu menos imaginei. Minha família me virou as costas, mas o Israel [companheiro dela] nunca me abandonou, esteve sempre do meu lado me apoiando. Ele é um pai maravilhoso e sempre me provou o seu amor. Não tinha como eu estar mais feliz", afirmou a mulher, por meio da assessoria da Suapi.

A subsecretaria informou que mantém parceria com diversas instituições religiosas em boa parte das unidades prisionais em Minas Gerais.

Até o momento, além dos dois casamentos feitos na unidade prisional especial para gestantes, outro casamento foi celebrado em um município do interior do Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário