sexta-feira, novembro 15, 2013


Assessores do ministro Guido Mantega são acusados de receber propina


DE BRASÍLIA
Dois assessores do ministro Guido Mantega (Fazenda) serão investigados pela Polícia Federal e responderão a uma sindicância interna devido a uma acusação de que teriam recebido propina.

Marcelo Fiche, chefe de gabinete do ministro, e Humberto Alencar, chefe da assessoria técnica e administrativa da pasta, são acusados de terem recebido pelo menos R$ 60 mil de uma empresa que mantém um contrato com o órgão. Ambos negam.

A acusação, publicada no site da "Época" agora à noite, é atribuída pela revista a Anne Paiva, 26. Ela é ex-secretária da empresa Partnersnet Comunicação Empresarial que, em dezembro passado, firmou contrato de R$ 4,75 milhões para prestar serviços de assessoria de comunicação ao gabinete de Mantega.

Segundo o texto, Anne disse ter ido pessoalmente pelo menos quatro vezes ao órgão levando o dinheiro em envelopes. Em uma ocasião relatada em abril deste ano, a revista diz que ela entregou R$ 20 mil a Fiche.

Segundo a "Época", Anne falara sob anonimato e prometera extratos comprovando sua acusação. Como isso não aconteceu, sua identidade foi revelada. A Folha não localizou a ex-secretária.

Hoje, a Fazenda anunciou uma investigação interna e pediu ao Ministério da Justiça que a polícia também apure o caso. A ex-secretária, segundo a revista, forneceu um extrato de uma mensagem de Skype de 4 de julho na qual recebe a ordem do diretor financeiro da empresa para sacar R$ 15 mil depositados na conta dela e entregar a Humberto Alencar, que é também o fiscal do contrato.

Segundo Dino Sávio, um dos donos da Partnersnet, Anne trabalhou no escritório de Brasília da empresa como secretária de fevereiro a setembro deste ano e a conta bancária dela foi usada durante o período em que a empresa, que tem sede em Belo Horizonte, ainda se instalava na capital federal e não tinha cartões nem cheques. "Ela pediu demissão alegando que iria se casar. Não teve problemas com a empresa", disse ele à Folha, negando qualquer irregularidade.

Sávio disse ainda que, após ser procurado pela revista, buscou as mensagens da empresa trocadas com Anne e encontrou apenas uma na qual o diretor financeiro, Vivaldo Ramos, pede para que ela saque R$ 5.000 para despesas da empresa e do diretor em Brasília.

Em nota, Fiche negou ter recebido dinheiro de Anne Paiva "nem dentro, nem fora do meu gabinete". Afirmou que o processo licitatório para contratação de empresa de assessoria de imprensa "é um marco para o setor público, já que mudou para baixo o patamar de preços desse tipo de prestação de serviço". Ele também disse que irá processar Anne e a revista. Alencar, que negou ter obtido vantagens da empresa, afirmou que fará o mesmo.

Fonte: Folha de São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário