quinta-feira, novembro 07, 2013

Número de homicídios cresce 24,2% no Acre, revela pesquisa

PDF
06/11/2013 - 22:10:37
A quantidade de homicídio intencional no Acre aumentou 24,2% em 2012 se comparado com o ano anterior. Os dados fazem parte da 7ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública publicado na terça-feira pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

No perfil analisado pelo Anuário, a maioria das mortes no Estado (70,2%) está relacionada a agressões sem o uso de arma de fogo. Em números absolutos, os adolescentes são as maiores vítimas da violência, chegando a registrar 29 óbitos entre pessoas que tinham entre 15 anos e 19 anos.

No ano passado, 173 pessoas morreram em crimes letais intencionais, o chamado homicídio doloso, contra os 137 de 2011. Os latrocínios, roubos seguidos de morte, caíram de 11 para 10 no mesmo período.

Mesmo com a alta do registro de crimes, houve o aumento nos gastos com o policiamento que era de R$ 220,6 milhões e chegou a R$ 228,3 milhões. Em contrapartida, o orçamento relacionado ao serviço de inteligência e informação caiu de R$ 2,1 milhões para R$ 1,2 milhão.

As mortes a esclarecer também cresceram de 12 em 2011 para 14 em 2013 e que não teriam sido elucidadas. Todos os dados divulgados são enviados pelas próprias secretarias de segurança dos Estados.

Os roubos de carros cresceram de 253 para 291 no último registro do FBSP. Os assaltos a instituições bancárias também apresentaram uma alta de 12 para 17 no ano passado.
Outros tipos de roubos também subiram quase 10% de 2011 para 2012, chegando a 2.616 registros.

Os flagrantes por tráfico de drogas também cresceram quase 8%, atingindo 362 casos. E as autuações por porte de arma subiram 27%, chegando a 129 casos. As tentativas de estupro cresceram 13%, saindo de 225 ocorrências para 256 queixas no último ano pesquisado.

Os casos de lesão corporal dolosa, com intenção de causar dano, em 2011 chegaram a 3.608 e caíram 3.437 casos. O registro ainda informou quatro ocorrências de confronto com policiais.

O levantamento demonstrou que a população carcerária das unidades prisionais do Acre era de 3.545 pessoas em 2012, sendo que 70% já estavam condenados. Na época do levantamento, existia o déficit de 1.586 vagas. A maioria (1.080) foi sentenciada a até oito anos de prisão.

O tráfico de drogas era a causa da condenação de 1.173 apenados. O crime cometido contra o patrimônio era o segundo maior motivo para a detenção (959 pessoas).

Confiança

Os dados do FBSP analisaram também o Índice de Confiança na Justiça Brasileira, pesquisa que aponta o nível de confiança dos brasileiros nas instituições, o que mostrou que 70,1% não acreditam na ação de investigação e capacidade de garantir a segurança pública das polícias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário